jul
14

Mix de estampas no trabalho :)

Boa noite pessoal. Hoje a tendência a ser reforçada é o mix de estampas. Esse meu mix está bem “tranqüilo”, não faz medo usar né? As duas estampas são Preto&Branco e de padrões que não se chocam. Fica difícil realmente misturar estampas muito diferentes, mas também é possível, depois posto aqui para vocês. Se você tem vontade de se “jogar” nessa tendência e está um pouco insegura, aposta no poá Preto&Branco que ele combina com quase tudo. Vou mostrar aqui também que o poá Preto&Branco dá certo com floral, liberty, listras, etc. Então abusa desse padrão na hora de misturar estampas. E essa dica não é das mais ousadas, é super usual. Gostam de misturar também?

Meus looks de trabalho são bem casuais, parece até que estou indo para um encontro numa tarde com amigos. Mas trabalhar com moda é assim mesmo. Esse foi meu look (super confortável) de trabalho hoje.

*Não separo roupas de sair e roupas de trabalhar (a não ser que seja um vestido de casamento, hahaha). O que muda é a maquiagem, salto (às vezes), acessórios e cabelo.

Blusa e saia: Produção

Óculos: Dior

Bolsa: Yves Saint Laurent

Sapatilha: M. Premier (Meia Sola)

 

Essa saia está muito muito barata na promoção, R$95,92.

jul
13

Candy color + Hard Color

Ontem falei da nova calça cor laranja, e hoje vou falar da minha nova calça clarinha. Nunca fui de usar muita calça (a não ser naquela época que todo mundo só usava calça jeans), mas estou amando essa febre. Essas calças coloridas então… Mas vim falar principalmente da combinação Candy Color (cor doce, leve, suave) + Hard Color (cor forte), sendo do mesmo tom, exemplo: rosinha + rosa pink (como na minha foto), verde água + verde bandeira, amarelinho + amerelo banana. Eu adoro! Não vejo a hora de pode fazer várias combinações como essa.

Desculpa pela qualidade da foto, todos os dias estou esquecendo no escritório a minha máquina ;//

Blusa, colete jeans, calça e sapato: Produção

Bolsa: Yves Saint Laurent

Anel: Mamis comprou em uma viagem, não sei de onde é.

jul
12

Calça color – Laranja

Chegou HOJE na Produção duas calças coloridas que não me aguentei e já garanti as minhas. Uma delas é essa laranja da foto e a outra é um rosinha “candy color” (ver aqui). Para quem ainda não sabe, as candy colors, como o nome mesmo já diz, são cores doces, suaves, clarinhas. Rosinha clarinho, azul bebê, verdinho água, tudo com inho é candy color, hahahaha. É fácil de explicar né? Essa minha carinha de cansada resume um pouco do que é a semana antecedente ao dia da sessão fotográfica da nossa campanha institucional (que no caso é da Produção). É cansativo, mas ao mesmo tempo muito prazeroso, é o momento em que um monte de coisinha dá errado, mas sempre acaba dando certo e dá melhor forma possível. Que dessa vez não seja diferente. Iremos fotografar próxima semana nossa campanha de Verão. Vocês não tem idéia como tudo está de babar! Eu fico tão ansiosa para usar tudo, mas não posso né? Só quando estiver na loja. Mas até a coleção Verão chegar na loja, toda semana chega novidade, como essas calças, que amei! Gostaram também?

*Repararam que eu dobrei a barrinha da calça? Amo calças mais curtinhas, aparecendo um pouquinho a canela.

Blusa e calça: Produção

Bolsa: Prada

Sapatilha: Santa Lolla

 

Hoje o blog faz 1 mês! \o///

jul
11

@Índia – Parte I

Depois de Dubai, partimos ao último destino, e para mim, o mais incrível, à Índia. Por isso vou dividir em partes, e vou falar um pouco de cada dia. É uma explosão cultural tão grande, tão interessante, que quero dividir um pouco com vocês. Logo que chegamos em Delhi, a capital do país, fomos ao Hotel (Metropolitan Hotel) descansar um pouco, tomar um banho, para sair para jantar em algum lugar. Esse “algum lugar” foi maravilhoso, começamos muito bem nossa estadia na Índia. O restaurante fica no hotel Shangri-La`s, o nome é 19 Oriental Avenue. Além da decoração impecável, o atendimento maravilhoso e a comida de “lamber os beiços”. Na Índia, encontramos os melhores restaurantes da viagem. Fiz várias pesquisas antes de ir, e todo dia a gente conhecia um local da minha listinha. Voltando a falar de hotel, quem quiser ir à Índia, tem que ficar perto da Connaught Place, é o melhor local. Você não vê sujeira, nem tanta confusão como em locais mais distantes, como os arredores de Old Delhi.

No outro dia acordamos 5:00a.m. para ir à Agra, visitar o Taj Mahal (são quatro horas de viagem). No caminho dos deparamos com algumas paisagens não muito bonitas. Apesar de todo o luxo dos hotéis, dos restaurantes, grande parte da Índia é assim, como na foto abaixo. Mas é um país que oferece tanta cultura, tantos locais deslumbrantes (e são vários mesmo), que vale a pena por tudo de bom que eles nos oferecem em dobro. Lembrando que essa foto foi tirada no caminho de Delhi para Agra. New Delhi não é assim (explico melhor nos outros posts).

A vaca, animal sagrado para os hindus, está em todos os locais. O cardápio indiano é maravilhoso! Tem muita opção vegetariana, muita mesmo. Muitos legumes e verduras tão temperados, tão suculentos, que dá água na boca. A maioria dos hindus são vegetarianos, muito legal. Quando a gente fala vegetariano, exclui da alimentação todo tipo de carne animal. Muita gente acha que vegetariano é aquele que não come carne vermelha, não é isso!

Lá eles quase não usam retrovisor, se baseiam na buzina. “HORN PLEASE”, ou seja, buzine por favor. Eu quase morri de rir quando vi todos os carros e caminhões com esses avisos.

A família típica indiana:

Chegando no Taj Mahal, fiquei desesperada para tirar mil fotos ainda no portão. Sim, tudo isso abaixo é apensas o portão de acesso ao Taj Mahal.

Adorava bater foto de indianos em suas posições preferidas, eles adoram ficar assim como essa senhora e o homem ao seu lado (ele está pela metade, hahaha). Eles também amam ficar de “cócoras”. Eles são muito parecidos comigo, também adoro ficar assim! Eu fui indiana hindu em outra vida certeza, me identifiquei demais com eles.

Eu e my love em pose para a foto que todos DEVEM tirar, em frente ao LINDO/MAGNÍFICO/ESPLÊNDIDO Taj Mahal.

A história do Taj Mahal todo mundo já conhece né? Mas não custa nada relembrar. O Taj Mahal nada mais é do que um mausoléu construído pelo imperador Shan Jahan para sua esposa favorita chamada Mumtaz Mahal, que morreu dando a luz ao seu décimo quarto filho. Todo feito em mármore branco, levou 22 anos para ser construído. Logo após a morte do imperador Shan Jahan, seu corpo foi sepultado no Taj Mahal ao lado de sua esposa. Lindo né? Por isso é tão romântico.

Eu e meus amigos indianos descansando um pouquinho:

Foto clássica:

Existem duas mesquitas (vocês devem se perguntar, mesquitas? Eles eram muçulmanos? Sim. O Império Mongol era muçulmano) nas laterais do Taj Mahal. Uma é uma mesquita real, olhando para Meca, outra é uma réplica para não quebrar a perfeita simetria do monumento. A única ruptura da simetria perfeita do Taj Mahal, é o túmulo do Imperador Mongol Shan Jahan, que está ao lado de sua amada esposa.

Essa foto é a vista ao contrário, de costas para o Taj Mahal, olhando para o portão:

A gente não tirou foto lá de dentro porque é proibido. ;// Mas é pequeno e bem simples. Lindo mesmo é por fora.

Depois fomos visitar o Red Fort de Agra, o mais famoso do país. Os “Red Forts” eram os palácios fortificados dos imperadores. Tanto Agra (que foi capital por um tempo), como Delhi tem um Red Fort. Tem esse nome por serem feitos de pedra arenosa rosada. Muito lindo!

Na parte interna, uma parte do complexo:

Caué com nosso guia Rajid. Ele é maravilhoso, fala espanhol perfeitamente bem, além de inglês lógico (para quem não sabe, inglês é a língua oficial da Índia). Sabe tudo sobre todas as religiões, muito sobre história e explica tudo muito bem e com muita calma. Ele ficou comigo e com o Caué todos os dias. Quem quiser contato dele, falem comigo.

Do Red Fort, dá pra ver o Taj Mahal. DIzem que Shan Jahan, doente, morreu no Red Fort (exilado, por motivos de briga familiar) olhando para o Taj Mahal. E que todos os dias antecedentes a sua morte, Shan Jahan passou olhando pela janela o monumento.

Alguém reconhece a foto abaixo? É o fundo do blog. Sempre soube que iria usar essa foto. É de um teto do Red Fort.

Na saída, nos deparamos com um grupo de turistas budistas cantando um Mantra da sua religião. Foi muito inesquecível esse momento, tenho tudo filmado, depois coloco aqui.

Mulheres indianas, muito coloridas, alegres, adorei esse astral. Esse povo é muito feliz!

Gostaram da Parte I? É tão linda a Índia né? Que saudade!

jul
10

@Dubai

Dubai, que cidade é essa? Todo o tempo que passei montando esse post para vocês, passei sentindo saudade de todos os momentos. Fez parte do nosso roteiro Ásia 2012, depois do Vietnam (ver post aqui), fomos à Dubai. Dubai é um dos Emirados Árabes, fazendo parte dos Emirados Árabes Unidos (EAU). Dubai é uma cidade muito em evidência, e sobre ela muita gente sabe. Não dá para acreditar que toda essa grandeza foi construída em tão pouco tempo. É tudo tão grandioso, rico, limpo, evoluído, seguro, que dá para pensar que foram séculos e mais séculos de desenvolvimento. Resumindo: vale a pena! Ao longo do post vocês vão ver e confirmar!

A altura dos prédios normais, na Marina de Dubai.

Logo que aterrizamos em Dubai, já nos deparamos com milhares de mulheres e homens com trajes tradicionais (lógico né? o país é muçulmano). Essa foto foi tirada no lobby do Hotel, que super indico, o Atlantis Dubai.

O aquário que tem dentro do Hotel, é incrível como tudo é tão grandioso! Só vi algo parecido no Georgia Aquarium, em Atlanta, nos Estados Unidos, que é o maior aquário do país. O aquário do Hotel é comparável ao maior aquário dos Estados Unidos, OH MY GOD!

Logo no nosso primeiro dia, compramos no hotel mesmo um passeio para conhecer um pouco da história de Dubai e seus principais pontos turísticos. O pouco de história que uma cidade tão nova ainda tem.

Apesar de não envolver historicamente Dubai (ou não?!), o único hotel considerado 7 estrelas do mundo, o Burj Al Arab, é um dos maiores pontos turísticos. Curiosidade: Nenhum hotel pode ter oficialmente mais de 5 estrelas, por isso que o Burj Al Arab é apenas considerado um hotel com nível 7 estrelas. Todo apartamento tem dois andares e um mordomo a sua disposição. Meio exagerado? Quem não queria um dia poder conferir se é exagero? A foto não ficou tão nítida, porque Dubai estava transitando de estação e pegamos um período de sandstorm, que é normal na mudança de clima, a cidade estava coberta de areia, parece nublado não é?

A maior mesquita de Dubai. Muito bonita e com uma vegetação bem típica do local, deixando tudo mais charmoso e diferente para gente:

Depois fomos conhecer a chamada Old Dubai, o lado antigo da cidade, que ainda preserva sua arquitetura tradicional.

As chamadas Torres de Vento, esses “quartinhos” em cima das construções que vocês estão vendo nas fotos, eram os “ar-condicionados” deles antigamente. Faziam com que o ar frio, mais denso que o ar quente, ficasse preso nessas torres e descesse para a sala, onde todos dormiam. Muitos restaurantes e hotéis usam as torres de vento como decoração, fica muito legal, pois é um símbolo da cidade.

Foto à beira do rio Dubai Creek, que fica na parte antiga/histórica de Dubai.

Eu adorei o Dubai Museum, parece Disney, muito interessante. E retrata de forma bem fácil e com interação a formação da cidade do zero até como é hoje.

Amei amei amei amei, não vai ter espaço aqui para descrever como eu AMEI esse passeio que fizemos no deserto. É chamado Passeio Safari no Deserto. É uma trilha SUPER emocionante, com muita adrenalina, seguida de show de falcões, aves incríveis e super inteligentes, passeio de camelo e um jantar no meio do deserto muito muito inesquecível, não tem como expressar esse dia. Foi indicação de um amigo nosso, Rodrigo, e que agora indico a todos que forem a Dubai. Foi a melhor parte da viagem. Tudo muito exótico e diferente. Por favor, passem e repassem essa dica!

As mesas de jantar postas em cima de gigantescos tapetes, almofadas e lapiões, muito diferente:

No outro dia fomos conhecer o famoso/famosíssimo Burj Khalifa, o maior prédio do mundo! E fica beeeem longe do segundo lugar, a CN Tower, em Toronto/Canadá, que já visitei e fiquei espantada com a altura. Agora imagina o Burj Khalifa, ficam todos “abestados” olhando para cima e admirando.

Essa foto é nos arredores do Burj Khalifa, que é cheio de restaurantes e barzinhos gostosos:

Essa foto tirei de uma lojinha que fica na parte do Golden Souk no Dubai Mall (o maior shopping do mundo). É uma parte do shopping que “imita” o famoso Golden Souk, localizado na parte antiga de Dubai. Por incrível que pareça, os preços são iguais aos preços que você encontra no Golden Souk original. E todas as lojinhas seguem esse padrão de vitrine, nós mulheres enlouquecemos com isso tudo. Então, vale a pena comprar no próprio shopping. Eu comprei na feira mesmo, Golden Souk original, um colarzinho que pretendo levar comigo a vida inteira (se não for roubada né?), e acho que vale a pena investir numa peça que vai marcar para sempre sua viagem. Eu amei demais. E realmente é mais barato que no Brasil. Quanto ao shopping, Dubai Mall (fica ao lado do Burj Khalifa) realmente é um ponto turístico, mesmo para quem não gosta de compras, é muito legal. E para quem gosta de comprar, é melhor ainda, você encontra por lá só TUDO. Outro shopping muito bom é o Mall of Emirates, também gostei muito.

Em frente ao Burj Khalifa, acontece várias vezes ao dia, um show de águas. Eu adorei o ritmo árabe em que as águas dançam.

No outro dia fomos até Abu Dhabi conhecer a terceira maior mesquita do mundo, a mesquita Sheikh Zayed. Valeu muito a pena, é fantástico o local.

Tivemos que vestir essa roupa para entrar (eles dão na entrada):

Reparem os detalhes:

Depois, em Abu Dhabi, aproveitamos e fomos conhecer o Parque da Ferrari, onde tem a montanha russa mais veloz do mundo.

Eu com uma Ferrari (não sei porque tirei essa foto, pra mim todas as Ferraris são iguais):

Prestes a partir, fuuuuiiiiii!

Foi bom demais, é muito muito rápido, nossas bochechas quase desintegram, hahaha.

No outro dia, fizemos um passeio de barco muito legal, você vê toda a orla da cidade e ainda nada ao lado do Burj Al Arab.

Em frente ao nosso Hotel, o Atlantis, eu adorei! Tudo muito bom!

A nossa turma bem fraquinha da viagem, ô turma maravilhosa:

Não pude deixar de me jogar no mar:

O Burj Al Arab bem de perto. Lá dentro é muito legal, depois faço mais posts de Dubai, se não vocês vão encher o saco em um post só:

Eu nadando e curtindo esse marzão todo pra mim. O hotel a frente é o Madinat Jumeirah, que na minha opinião, é muito mais bonito e mais interessante que o Burj Al Arab. O preço da diária não é muito diferente da pechincha da diária do Burj Al Arab, por isso fomos somente jantar e conhecer, mas valeu. Que hotel lindo, e o restaurante tão quanto, o Pier Chic, depois posto aqui:

Depois fizemos passeio de helicóptero. Senti um friozinho na barriga mas venci o medo e fui. É uma indicação que rola por todos os blogs de viagem e realmente é um programa para não deixar de fazer, só assim dá para ter noção do “desenho” de Dubai. Suas ilhas artificiais são incríveis lá de cima!

 

Ainda não falei tudo que queria, mas já deu para dar várias dicas para quem está se programando para ir à Dubai. Quem tiver mais qualquer dúvida, é só comentar. Beijos! Até amanhã.

jul
09

Oxford

Já tinha desistido de postar esse look por aqui, porque as fotos não ficaram muito nítidas, tiramos “nas carrera”. Mas esses dias percebi a resistência que muita gente ainda têm com os famosos oxfords. Eles já estão em voga há algum tempo, e mesmo assim ainda transmitem insegurança quanto à sua versatilidade. Uso SEMPRE com peças curtas, vestidos curtos, saias curtas, shorts curtos, ou seja, encontro milhões de oportunidade para usá-los. Quando acho o look muito careta, ou muito comum, aposto no oxford para quebrar um pouco e deixar o visual mais moderno. Tem gente que realmente não gosta, então não precisa se obrigar a usar só porque estão usando por aí. Quem gosta?

 Blusa, colete jeans e saia(já apareceu aqui): Produção

Óculos: Dior

Bolsa: Stella McCartney

Pulseiras: H&M e Sun Bijoux

Oxford: Santa Lolla


jul
07

Camisa de renda #loveit

O look hoje fiz com um cabelo bem “desajeitado”, para não dizer feioso. Mas vale né? Um coque muito maluco que fiz e não deu certo. Pelo menos a roupa eu amei. Essa camisa de renda (peça básica que todo mundo deve ter) é uma paixão, uso demais! E essa saia tem uma textura tão linda e diferente, que sempre que uso o tecido chama a atenção. Esse colar-gola comprei em uma feirinha em Singapura, perfeito né? A sapatilha já está virando figurinha repetida por aqui, é um coringa, dá com TUDO!

Blusa e Saia: Produção

Óculos: RayBan

Bolsa: Balenciaga

Sapatilha: Chanel

Colar: Comprado em Singapura

A gola da blusa sem o colar:

Hoje vou para uma festa junina, amanhã posto o look de hoje a noite. Até amanhã!

jul
06

Vestido Midi – Festa 70 anos vovó

Bom dia! O aniversário da minha avó, como comentei com vocês, foi no Domingo. Mas a festa mesmo, foi ontem. E por sinal, foi muito boa e muito animada. Adorei! Dancei muito! Quando a gente receber o CD com as fotos da fotógrafa, coloco aqui para vocês conferirem como minha avó estava toda gatona e a festa super animada. Bati foto do look quando cheguei em casa, depois de já ter dançado e curtido muito a festa.

Agora vamos falar de tendência de moda. A onda dos vestidos mais compridinhos e das saias lápis me pegou TOTAL! Me sinto tão chique! Algumas vezes me sinto um pouco séria também, mas estou gostando dessa sensação. Sempre fui muito mini/micro comprimentos, estou adorando mudar um pouco e gostar disso tudo. O que vocês acham? Amam também?

Vestido: Produção

Sandália: Santa Lolla

Bolsa: Chanel

Anel: Comprado em Buenos Aires

Não tiro mais os dois colares:

                                          Presente de aniversário do Caué, o Love , amei muito!

Foto eu e Caué no espelho (não tinha quem tirasse, hahaha).

Até amanhã!

jul
05

Em clima de Férias!

Julho é um mês que exala alegria e animação. Transmite um sentimento de férias muito gostoso, mesmo para quem não está de férias (como eu). Pelo menos minha noite esse mês está livre o// Férias da Faculdade. Enfim, durante o mês de julho, gosto de compor looks que lembrem folga, passeio, breaktime, vento e sol. O chapéu estilo Panamá e a sandália com amarração ajudaram MUITO  a criar esse clima que queria. Para dar meu toque de perua (hahahaha), inseri na produção o batom rosa bem forte. Eu adorei o resultado.

Blusa e saia: Produção

Chapéu e Sandália: Comprado em Santorine

Colar de pérolas: Comprado em Ha Long Bay

Pulseiras: Meia Sola e H&M

Bolsa: Balenciaga

Óculos: RayBan

jul
04

Vietnam – Ásia 2012

Em março, deste ano, depois de conhecer Singapura (post aqui), fomos ao Vietnam. Um país cheio de cultura que deixa qualquer um encantado. Suas belezas naturais chamam a atenção de inúmeros viajantes, como nós. Logo que chegamos ao aeroporto internacional de Hanoi, capital do país, trocamos dólares por Dong’s (moeda da nação). Confesso que não conhecia a moeda. Tem estampado nas cédulas o rosto do maior líder do país, Ho Chi Minh. A antiga cidade Saigon, ao sul do Vietnam, hoje se chama Cidade de Ho Chi Minh. Hanoi e Halong Bay ficam ao norte. Desembarcamos em Hanoi e fomos direto a Ha Long Bay, depois voltamos a Hanoi.

A moeda é muito desvalorizada, trocando $200, ficamos literalmente milionários, hahaha:

Ao chegar em Ha Long Bay (3 horas de Hanoi), dormimos no Hotel da rede Novotel (que por sinal, o Novotel de NY é o melhor hotel do MUNDO, nada exagerada né? Como se conhecesse todos), e de manhã nos deparamos com esse café da manhã, chato ein?

Logo em seguida, embarcamos no Paradise Cruises, cruzeiro que fica dois dias e uma noite na Baía de Ha Long, nos encantando com seus segredos e belezas.

O almoço de recepção:

Todos já no clima:

No final da tarde, fomos conhecer a maior gruta de Ha Long Bay, é muito incrível, muito HUGE! Nunca vi nada assim. A nossa gruta de Ubajara, aqui no Ceará, não chega nem perto em relação ao tamanho, apesar de ser muito linda também.

Todo o grupo reunido:

Olhem a imensidão, essa é uma das partes da gruta. Foram 2 horas andando!

Vista saindo de lá (estava neblinado):

Voltando para o cruzeiro com as únicas pessoas (muito fofas) da tripulação que desenrolavam o inglês.

Existe mais gostoso? Tomei um chá bem quente e fiquei por uns 30 minutos só admirando da varanda do quarto:

Em seguida tivemos aula de como fazer o famoso Rolinho Primavera (para quem não sabe, é típico vietnamita, não é chinês), MUITOOOO BOOOOMMM!

No café da manhã, a famosa sopa vietnamita, a Pho Soup. Caué amou, eu nem provei!

Depois do café, na varandinha, curtindo o friozinho:


Desembarcando do cruzeiro, fomos rumo a Hanoi. Apesar de ser a capital, não é a maior cidade do Vietnam, é a segunda maior (atrás da antiga Saigon). Visitamos o Mausoléu do idolatrado Ho Chi Minh. Curiosidade: Para quem não sabe, Ho Chi Minh é apelido, e significa “aquele que ilumina”. Ho Chi Minh declarou a Independência do Vietnam do Norte na praça onde fica seu Mausoléu, libertando os vietnamitas da dominação francesa. Foi muito legal escutar a versão deles sobre a Guerra do Vietnam. Nós aprendemos no colégio que, o Vietnam do Norte tentou tomar o Vietnam do Sul, para virar um país unificado e comunista. E nosso salvador, Estados Unidos da América, entrou para apoiar o Vietnam do Sul a lutar contra dominação do Vietnam do Norte. Já eles contam que os dois países (Vietnam do Norte e Vietnam do Sul), queriam a unificação, e os EUA temiam o famoso efeito dominó, em que os países, influenciados pelo Vietnam, também virassem comunistas, algo que EUA não queriam nem um pouco. Cada lado tem uma história, é como briga de namorado. Foi muito interessante escutar a versão que eles contam e ensinam na escola.

*Nós chamamos Guerra do Vietnam. Eles chamam Guerra Americana.

É muito comum ver mulheres vendendo frutas, frituras e outras comidas nas ruas:

Visitando templo Confucionista. Foi muito legal conhecer de perto uma cultura tão diferente da nossa. Confúcio pregou a moral, a lealdade, a sinceridade e a justiça. Era dia de domingo, o templo estava cheio de pessoas com fé, fazendo seus rituais de oração, foi muito legal.

Crianças se preparando para o ritual de formatura de uma Escola Confucionista:

Imagem de Confúcio:

Os crentes deixam biscoitos, frutas, água engarrafada, dinheiro, como forma de agradecimento:

Depois visitamos um templo Budista. Também muito interessante e muito bonito. Siddhartha Gautama (o Buda) era hindu. Acabamos conhecendo mais detalhes sobre essa religião na Índia, onde somente 2% da população é budista, mas, sendo considerada pelos hindus religião derivada do Hinduísmo, aprendemos mais por lá.

Eu me achando uma vietnamita:

Muita fritura nas ruas:

Não gosto nem de relembrar esse almoço de despedida, minha boca já fica salivando. O melhor spring roll (rolinho primavera) de todos os tempos e um fried rice (arroz frito) que não cansei de comer. Só de escrever esse post já engordei 3kgs no pensamento.

Nós amamos o Vietnam. Todos foram muito receptivos, a comida é muito gostosa, a cultura é bem diferente e tudo muito interessante. Gostaram? Até amanhã!