jun
23

Terceiro dia – Buenos Aires

Hoje conhecemos locais bem legais da cidade. Fomos almoçar no Cluny, restaurante de comida francesa/contemporânea. Fica no bairro Palermo. A comida é bem gostosa. Gostei muito da sobremesa, de doce de leite, muito bom. Passamos a tarde inteira lá. Depois de lá, fomos a uma loja de cupcakes famosa aqui em Buenos Aires, é bem perto do Cluny, a Mumas Cupcakes, a lojinha é uma graça, parece uma casinha de boneca, muito linda! O cupcake é gostoso também, não é o melhor do mundo, mas é bom e MUITO lindo! A decoração que fazem nesses mini bolinhos é muito perfeita. Depois de lá, fomos começar nossa noite no Milion, no bairro Recoleta. O Milion é um bar/restaurante que vira baladinha ao desenrolar da noite. Ficamos das 18h às 01h. O Milion é um casarão, construído no início do sec. XX, não foi modificado e mantém o mesmo espírito. São três andares com espaços diferentes. Muito animado, a comida é maravilhosa, o preço é bom, pra que melhor? E ainda mais, de 18pm as 21pm, o drink que você pedir, você ganha outro, promoção de happy hour. Pedi todas minhas bebidas nesse intervalo de tempo, lógico! Hoje foi isso, o dia inteiro papeando, bebendo, comendo e curtindo sem pressa. Será que vou voltar com alguns quilos a mais?

*As fotos do Cluny estão bem desertas porque já era 17:30. Não tinha mais ninguém, estamos sendo sempre os últimos a sair. E as fotos do Milion também estão vazias porque chegamos muito cedo, às 20h já tava lotado, sem mesa!

A loja de cupcakes, olhem que fofura:

As fotos abaixo são do Milion. Se forem a Buenos Aires, vocês têm que ir nesse lugar incrível.

Até amanhã! Beijos

jun
22

Segunda dia – Buenos Aires

Boa noite pessoal. Hoje o dia foi do jeito que eu mais gosto, tivemos vários momentos sentados, bebendo e comendo. Começamos o dia andando até a Praça San Martin, e da lá pegamos o ônibus hop on hop off, aqueles que rodam a cidade toda e param nos principais pontos turísticos. Nem valeu a pena pra gente, depois de 30min no ônibus, paramos na Recoleta, na av. Alvear, e não voltamos mais. Recoleta é um dos bairros mais charmosos de Buenos Aires. Paramos logo em um local para beber um vinho. Onde paramos é muito legal, na última vez que vim pra cá, paquerei demais com o ambiente, quis ficar e não deu, porque estava lotado. Dessa vez, como estamos no inverno, estava lotado na parte de dentro/fechada, lá fora, na parte aberta, que era onde a gente queria ficar, tinha mesa sobrando. O nome de lá é Confiteria “La Biela”, vale a pena ir.

De lá, fomos direto almoçar, no La Cabrera. Super tradicional, o restaurante é famoso por ter a melhor carne de Buenos Aires. Eu sei que essa dica é manjada, até porque todo mundo que vem a Buenos Aires fica sabendo da fama do local. Mas não custa nada reforçar: se for a Buenos Aires, não deixe de ir no La Cabrera. A decoração é maravilhosa, com detalhes criativos e inovadores, o clima é super astral, lotado de gente bonita, garçons super profissionais, atendimento maravilhoso, tudo muito bom. Mesmo para quem não é muito fã de carne como eu, pode se deparar com pratos incríveis como o frango que pedi. A tarde foi maravilhosa, saímos de lá já a noite.  O menu que pedi, com entrada, prato principal e sobremesa foi $79, ou seja R$34,50, adorei o preço. O restaurante é dividido em vários ambientes, todos diferentes um dos outros, cada um com um charme especial.

 

As fotos abaixo são na Plaza San Martin.

A gente já no La Biela, na Recoleta, tomando vinho e cerveja. Muito gostoso, bem geladinho. Dei uma volta aos arredores com a Fernandinha, minha amiga, para comprar luva, porque tava muito frio, e acabamos descobrindo umas lojas bem legais. Depois mostro as novas aquisições e digo o nome e endereço das lojas.

Aqui abaixo já é no La Cabrera, eles servem espumante enquanto esperamos mesa, achei o máximo, aproveitei e tomei logo duas taças, “de grátis” né? Quem não ama? Hahahahaha.

Detalhe do lustre:

Brinde à viagem! Obaaa!

Meu frango. Uma dica, NUNCA peça um prato só pra você lá, os pratos são gigantescos. Acho que era um frango inteiro nesse prato. Todo mundo morreu de comer.

A carne Kobe do Caué:

O que é Carne Kobe? Criado no Japão, a carne de Kobe extraída da raça Wagyu, que é tratada a base de muita cerveja(sim, cerveja) e uma mistura de grãos. Além disso os animais recebem massagens, são escovados com saquê e escutam música clássica para acalmar os ânimos. Parece até mentira né? Mas é verdade!

O bife de chorizo do Tiago e da Lu:

A sobremesa de gigante. Tudo é muito grande! Delicioso! Esse doce de leite argentino, não tem igual.

Na hora de pagar a conta, eles oferecem pirulitos de uma forma super criativa:

Nossa mesa, companhias maravilhosas:

Quando a gente saiu já não tinha mais ninguém! Já era a noite!

Tinha muitooo mais coisas pra falar, várias dicas, mas tá todo mundo me esperando pra sair. Vamos badalar hoje, não sabemos ainda onde vamos, amanhã conto aqui pra vocês. Até amanhã! Beijo!

jun
21

Primeiro dia – Buenos Aires

Boa noite, hoje eu acordei assim, em Buenos Aires. As ruas estavam vazias e eu sem entender o porquê da cidade estar tão fantasma, aí o pessoal do hotel falou pra gente que era feriado em homenagem ao criador da bandeira. Ainda bem que no Brasil não temos mais esse feriado, é feriado demais já, hahahaha. Chegamos aqui às 9a.m. e ficamos esperando nossos amigos chegarem, três casais amigos, que acabaram chegando só às 19p.m.. Acabamos curtindo o dia só nós dois mesmo, mas foi, como sempre, perfeito. Nosso hotel é na 9 de julho, o centro, fomos andando até a Florida e “almoçamos” na Galerias Pacifico, um shopping que parece a Galeria Lafayette, de Paris.  

A gente “almoçou”, que na verdade foi um lanche, em um café super agradável, Fournil de Pierre, muito lindo, gostoso de ficar, mas não tive muita sorte com o pedido. Não que meu croque monsieur estivesse ruim, mas nada que amasse, e em viagem a gente sempre espera AMAR nossos pratos né? Mas indico ir para curtir a beleza do shopping e beber vinho para aquecer um pouco como fizemos. Aqui tá bem friozinho, uma delícia! Depois continuamos andando pela Florida e paramos em um barzinho de esquina só pra ficar observando as pessoas passarem, observar os costumes, as maneiras, manias, amo muito. Bebemos uma garrafa de vinho, nos aquecemos e rimos muito, foi uma tarde/noite maravilhosa! Amei muito.

Quando o pessoal chegou fomos ao Hard Rock Café, mas não levei a máquina, esqueci, então não tenho foto. Amanhã tem mais! Beijos

Créditos:

Blusa, legging e pulseira de couro: Produção

Pashmina: Le Lis Blanc

Bota: Shutz

Outra pulseiras: Forever 21 e H&M

 

jun
19

Saia Lápis + Blusa de renda

Boa noite, vocês vão perceber com o tempo que meus posts serão sempre a noite, porque de manhã não dá tempo pra mim ;// Enfim, o post de hoje é de look, o cansado do look do dia, mas sério, quem não ama looks do dia? Hahahaha, eu adoro ver todos e me inspirar. Tem vezes que não vem a mente nenhuma idéia de roupa para usar e basta entrar nos blogs as idéias surgem né? Tomara que a minha produção chegue a inspirar alguém, kkkkkkk. É a famosa saia lápis, que algumas pessoas ainda tem receio de usar pois acham que o quadril fica muito largo, ou dá aparência de mais baixa, eu sei que eu gosto, me sinto mais magra e mais alta, hahahahaha. Dá um ar mais sério, mais adulto, é verdade, mas eu gosto mesmo assim. Acho que essa moda vai pegar! A blusa é uma amada que vocês ainda vão ver muito! Uso demais, tanto pra trabalhar, quanto pra sair, quanto pra… qualquer coisa. Pode ser usada também com um top ou sutiã, sem essa segunda pele preta.

Vamos aos créditos:

Saia lápis: Zara

Blusa de renda e segunda pele: Produção

Pulseira: Forever 21

Sandália: Rosamango (loja da minha cunhada, amo)

Carteira: Balenciaga

Óculos: RayBan

*Obs: tem saia lápis na Produção também viu? Chegou agora, esses dias. Aqui a foto.

A Pepita tava tão carente nesse dia, com uma carinha de “quero carinho”, que não resisti em atrapalhar um pouco a “sessão de fotos”. Pepita é a Dálmata do Caué, meu namô.

jun
19

Cingapura/Singapura

Boa noite pessoal, hoje vou falar sobre meu último roteiro de viagem, feito em março 2012. Começamos com Singapura (pode ser escrito também com C), depois fomos ao Vietnam, depois Dubai/Abu Dhabi, e por último Índia. Vou falar um pouco de cada país em cada post. Em Singapura passamos apenas 3 dias inteiros, mas valeu muito a pena conhecer. A gente se hospedou no maior ponto turístico da cidade, O Marina Bay Sands. Um hotel? Maior ponto turístico? Hãã? É isso mesmo! É impossível alguém em sã consciência ir à Singapura e não visitar (passar o dia inteiro) no gigante Marina Bay Sands. São 3 torres que suportam um enorme “navio” no último andar. O hotel tem um shopping maravilhoso, que dá acesso à famosa ilha Louis Vuitton. Falando em loja, foi a cidade com mais shoppings que já conheci, são tantos tantos shoppings que é difícil escolher onde ir. Mas os preços são bem salgados, então não vale a pena comprar por lá.  A foto acima representa um pouco da grandeza e riqueza de Singapura, tendo como ícone, o Marina Bay Sands: 

A piscina de borda infinita é incrível. Tomar drinks, conversar e morrer de rir com essa vista, do outro lado do mundo, é maravilhoso. Vale ressaltar que as companhias foram maravilhosas e fizeram a viagem ser ainda mais especial!

Tem muita coisa a fazer sem ser curtir o hotel, lógico, apesar de ter achado o mais incrível da cidade. Pegamos um ônibus turístico (hop on-hop off) e visitamos os principais pontos turísticos da cidade. Toda grande cidade cosmopolita que se preze tem um Chinatown. E o Chinatown de Singapura vale muito a pena ir. Tem várias feirinhas, é animado, tem muitos restaurantes, barraquinhas de comidas, tem muita fruta diferente, tem um feira de roupa que é muito boa, e tudo muito barato, enfim, você faz a festa.

Já no espaço indiano da cidade, Little India, não gostei muito. Não tem muita coisa pra fazer, é meio parado, os bares não têm estrutura. Pode até valer a pena ir pra dizer “eu fui, vi, e não gostei ou gostei”, hahahaha. Quem não tem intenção de visitar a Índia, vale mais a pena, para ver um pouco (pouco mesmo) da cultura hindu. Meu namorado adorou, então, vai saber né? Hahahaha.

Comentaram com a gente que em Boat Quay (fotos abaixo) iríamos encontrar uma rua animada, com vários bares e restaurantes. Na verdade encontramos vários bares e restaurantes, com cardápios com fotos que davam muita água na boca, mas animado? Zero! Acho que foi o horário, ainda não sei o porquê de estar tão vazio, mas lá tem histórico de ser um local super animado. Então decidimos ir almoçar no Madarim Oriental de lá, ver gente bonita e curtir nossos momentos sentados (tenho uma teoria que os momentos sentados de uma viagem são os mais inesquecíveis, almoços, jantares, tudo sentado. Não é preguiça viu? Longe disso, hahahaha). Tem um local bem perto de lá, o Clarke Quay, que é bem mais animado, muito bom!

Enfim, amamos muito Singapura, essa cidade rica e com o ar super ocidental que nos deixa tão a vontade. Foi a primeira vez na Ásia e já quero viajar novamente pra lá. Por isso tantos brasileiros estão morando lá. Espero que tenham gostado. Beijos, Ju.

jun
18

Brilho de dia!

O post de hoje mostra que a “Era” do brilho ser usado somente a noite, já era! A minha blusa de paetê tem um brilho bem discreto, eu sei, mas não deixa de ser uma blusa brilhosa. Já vi muita gente na loja (Produção) comentando que nunca teria coragem de usar uma blusa, saia ou casaco de paetê de dia, por isso resolvi abordar esse assunto. Ficou super informal e nada “chique” demais para o dia né? O óculos estilo wayfarer da Burberry deixou o look ainda mais informal. O short jeans quebrou a idéia careta que o casaco poderia dar. Enfim, gostam do resultado?

Blusa, casaco e short jeans Produção.

Sapatilha e bolsa CHANEL.

Óculos Burberry. 

Lenço comprado na Índia.



jun
15

Blusa cropped + Shortinho alto

Hoje, primeiro post oficial, vou falar de um assunto bem batido, mas que algumas pessoas ainda têm receio de usar. É a famosa blusa/top cropped. Por quê cropped? Esse termo em inglês significa “cortado”. Ou seja, a blusa cropped, é uma blusa “cortada”, ela é mais curtinha. Tá, eu sei, todo mundo já sabe. O maior receio de todos é: mostrar a barriga não é brega? Eu sei que brega é questão de gosto, mas eu não gosto quando a barriga fica toda à mostra. Mesmo que você tenha aquela barriga perfeita, de fazer inveja a todo mundo, é melhor não se arriscar.  O ideal é usar sua blusa cropped com peças de baixo cintura alta, seja saia longa alta (como a personagem Débora da novela Av. Brasil), short alto, calça alta, tudo alto. Sendo assim, sua barriga vai aparecer somente aqueles dois dedinhos charmosos. Caso você use blusa cropped com calça/saia/short de cintura baixa, você vai ficar assim:

 

É melhor a gente se espelhar nos “SIM” né? Os looks abaixos são perfeito. Podem se inspirar e usar a vontade as blusas croppeds.

Agora o meu look com short alto e blusa cropped. Essa blusa é muito linda, básica e linda. O tecido dela é uma camurça toda furadinha, é linda. Sou viciada nela! Blusa e short da Produção, cinto e sapatilha da Santa Lolla.

Gostaram das dicas? Beijos beijos!

jun
12

Sejam Bem Vindos!

Sejam bem vindos ao mais novo blog da cidade. Em poucas horas ele já não é mais tão novo, afinal, devem ser uns 200 novos por dia, hahaha. Como eu sei que vocês têm muita informação por aí, internet adentro, vou tentar ser bem relevante. 

Estudo administração, amo o curso, e tudo que envolve o assunto. Trabalho ao lado dos melhores sócios do MUNDO, meus pais, na empresa chamada Produção, que fabrica e vende roupa feminina. Além do administrativo, faço parte da equipe de criação, setor que sempre me fascina e me empolga. Já cursei Design de Moda, mas tranquei no penúltimo semestre. Quando me formar em administração, volto para o curso e me formo.

Um dos maiores prazeres da vida, pra mim e pra muita gente, é viajar. Então vou dividir com vocês várias dicas de viagem. Às vezes a gente tá sem luz, sem saber programar o roteiro das férias, e um blog de viagens aparece na sua vida e ajuda muito né? Eu sempre consulto blogs para pegar dicas. Senti necessidade de contar minhas próprias experiências, pra dividir as emoções mundo afora e ajudar quem quer montar um roteiro. Parece até que sou agente de turismo né? Hahahaha. É porque eu amo muito viajar, estudar cada local que eu visito, conhecer a cultura, é incrível.

Tem uma tema que está mais presente na minha vida do que minhas viagens, MODA. Ainda mais quando a gente trabalha com isso, é PRECISO respirar, sonhar e viajar com MODA. Trabalhar com criação é uma loucura, mas quem trabalha sabe como é a melhor sensação do mundo sair nas ruas e ver sua peça circulando por aí. É tão gostoso. E é preciso se superar sempre, para cada coleção ficar mais incrível que a outra e superar as expectativas de todo mundo.

Enfim, é mais ou menos isso. Acho que para um começo escrevi demais. Não vou ocupar vocês com horas de “balela” tá? Espero que gostem, e também quero dicas de vocês. Beijos.

Juliana Fialho.

*Balela = Conversa Mole